Loading...

quarta-feira, 31 de outubro de 2012


Dicas para perder o medo de dirigir

Por falta de confiança, muita pessoas (mesmo habilitadas), tem medo de pegar um carro e sair no trânsito a fora. Segue abaixo algumas dicas para você se livrar deste medo:

1 - Comece a dirigir em locais mais calmos, com pouco trânsito.
2 - Ande inicialmente com seu pai, mãe, amigo. Alguém que lhe traga confiança.
3 - Se quem está tentando lhe ensinar é nervoso, procure outro professor.
4 - Tenha calma e não faça nada no desespero ou com pressa. Siga todos os passos ensinados na auto-escola.
5 - Não pare de praticar, a pratica leva a perfeição e assim aos poucos você acaba perdendo o medo de dirigir.
6 - No começo, escolha um ou dois trajetos. Isto evitará ansiedade.
7 - Marque em sua agenda, pelo menos duas vezes por semana para praticar o exercício de dirigir. Esta prática deve ser considerada como uma tarefa do dia-a-dia. O hábito diário fará você adquirir confiança.
8 - Quando se sentir confiante, inicie trajetos maiores ou que tenham subidas e uma maior quantidade de veículos.
9 - Não se assuste com os sintomas da ansiedade que se manifestarão no seu corpo: tremedeira, taquicardia, transpiração. Elas tenderão a diminuir.
10 - Dirija inicialmente para você. Não tente provar nada para os outros. Isto diminuirá as expectativas sobre você e baixará a ansiedade.
11- Tenha autoconfiança, tente esquecer do seu medo na hora de dirigir
12- Dirija por você e pelos outros. Assim você tomará o máximo de cuidado no transito e evitará problemas
13- No início, tente procurar locais isolados ou com pouco movimento, até se sentir mais confiante
14- Procure ter calma, não faça nada as pressas, principalmente no transito
15- Saia para dirigir na cidade em períodos/dias de menor movimento
16- Saiba que ninguém nasce sabendo, então pratique sempre, assim você perderá seu medo.
17- Se você notar que nenhuma das dicas acima serviram para você, procure um profissional para orientá-lo psicologicamente.


Sem traumas

Muitos costumam associar essa fobia de dirigir a algum trauma ocorrido em um acidente, à morte de um ente querido no trânsito ou até mesmo a um seqüestro relâmpago. Para o especialista Miguel Jorge, o trauma é uma situação ou experiência vivida pela pessoa de forma a promover nela um registro psicológico negativo. Toda vez que ela revive a má experiência em sua vida, este pavor é acionado. Trata-se de um transtorno de estresse pós-traumático.

Mesmo assim, segundo a psicóloga Neuza Corassa, autora do livro Vença o medo de dirigir- Como Superar-se e Conduzir o Volante da Própria Vida (Ed. Gente), o impressionante é que muitas das pessoas que têm medo de entrar no carro e enfrentar as ruas não sofreram anteriormente acidentes de carro e nem mesmo perderam familiares nas ruas e estradas.

Para a psicóloga Cecília Bellina, dona da auto-escola Persona, especializada nesse tipo de fobia, é simples identificar esse mal. "Geralmente, a pessoa possui carteira de habilitação, tem carro, mas anda a pé", comenta. Cerca de 10% dos motoristas precisam de ajuda apenas para vencer a ansiedade e 95% das pessoas que buscam ajuda para perder o medo já possuem habilitação.

Além disso, "o maior sofrimento da maioria está mesmo no medo de errar e atrapalhar o trânsito", diz a psicóloga Neuza Corassa. As pessoas que sofrem desse mal têm dificuldades em se expor publicamente; errar na frente dos outros; ser criticada; passar por testes e ser ridicularizada.

Medo, fobia ou pânico? 

medo controlado cria barreiras para nossas atitudes e nos protege de várias situações. Em excesso, ele vira uma doença. De acordo com Miguel Roberto Jorge, professor associado e chefe da disciplina de Psiquiatria Clínica da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), o medo é uma manifestação normal diante de situações que são ameaçadoras para as pessoas.

Já o pânico corresponde à situação em que a pessoa se sente muito aflita ou desesperada diante de algo. "Em psiquiatria, este estado emocional se refere a um conjunto de sinais e sintomas, como intensa ansiedade, tremores, sudorese, palpitações, medo de morrer ou de perder o controle - situação esta, aliás, que pode ocorrer sem causa aparente ou diante de um fato estressante e que dura alguns minutos", conta o médico. Estas condições, habitualmente, são reconhecidas como diferentes transtornos de ansiedade, e as causas podem estar associadas a uma predisposição genética ou a experiências de vida e comportamentos aprendidos.

Porém, nem todo medo é fóbico. "Se uma pessoa apresenta fobia de dirigir, provavelmente ela já possuía, anteriormente ao quadro, algumas características de personalidade que incluem o fato de sempre ter sido uma pessoa medrosa e que, a partir de uma má experiência em um carro (um acidente, por exemplo), pode passar a ter um medo exagerado e a não querer mais dirigir", avalia o professor Miguel Jorge (Unifesp).
Muitas pessoas, na grande maioria mulheres tem medo de dirigir.

No início, é muito dificil até você pegar confiança no veículo, na estrada. Para muitas o medo de dirigir se torna uma coisa impossível se superar. Mesmo pessoas que dirigem bem inicialmente, tem facilidade de aprendizado na direção podem ter medo de dirigir.

Você não deve perder o medo de dirigir, pois o trânsito é muito perigoso, principalmente em cidades grandes onde a quantidade de carros e motos é muito elevada. Não perca o medo de dirigir, aprenda a respeitar o trânsito. Desta maneira, você não causará nenhum acidente e nem infringirá as leis de trânsito.

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Meu Processo Dirigir

Gina Pimentel

1) Como era antes de conhecer a Dirigindo Bem?
Eu havia tirado a carteira de motorista, mas me sentia sem a habilidade e conhecimento necessário, para enfrentar o transito e dominar o veículo.

2)Desafios Superados
Dirigir não é tão dificil como me parecia e os outros não são tão intolerantes no transito como eu pensava; eu também posso dirigir.

3) Minhas Conquistas
Aprendi o diminio do carro .
Superei o próprio preconceito de que já estava "velha" p/ aprender a dirigir .

4)O que achaque falta e porquê?
Falta por em prática todo o aprendizado; apos o treino das aulas, a insegurança tomou conta de mim novamente, então falta confiar mais em mim . . .

5) E agora . . .
Agora não tenho saida, não posso regredir meu ficar parada, só me resta ir em frente.